quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

O que eu sempre quis fazer e (ainda) não fiz

Já agora, que apanhei a embalagem, desenvolvemos isto, em várias sequelas, qual "Pesadelo em Elm Street" (bateu saudade agora disto!) ou "Star Trek"(seeeeeca!)

. Sempre quis ter aulas de ballet;
. Sempre quis ser poliglota;
. Sempre quis escrever um livro;
. Sempre quis viajar muiiiiito (quem é que não quer?!);
. Sempre quis acabar a minha velhice numa casa, numa falésia virada para o mar, com paredes todas em vidro e vestir-me todos os dias de branco por essa altura;
. Sempre quis escrever esse livro na altura em que vivesse nessa casa, para, nos dias de chuva, tempestade e frio, escrevê-lo, junto à lareira e a ver o mar bravo (sou pouco frita!);
. Sempre quis ter fotos gigantes minhas, em tela, a preto e branco, espalhadas pela casa, como o Andy Warhol tinha;
. Sempre quis ter vivido o 25 de Abril;
. Sempre quis viajar numa roulote;
. Sempre quis ter jeito para cantar, fazer ginástica, pintar ou desenhar;
. Sempre quis que a minha irmã me considerasse confidente dela;
. Sempre quis ver BEM sem lentes de contactos ou óculos;
. Sempre quis ter uma biblioteca pessoal enooooooorme, de corredores e corredores, com aquelas escadinhas que deslizam nas estantes;
. Sempre quis ter uma sólida e bem sucedida carreira profissional;
. Sempre quis voltar às aulas de piano;
. Sempre quis aprender a ler a mão, as borras de chá e essas cenas todas;
. Sempre quis perder a vergonha de poder dar beijinhos à minha avó todos os dias;
. Sempre quis tentar fazer o esforço de fazer 1 "escapadinha de fim-de-semana" por mês;
. Sempre quis dedicar-me exclusivamente, durante um periodo de tempo, a fazer investigação num tema que me interessasse e que trouxesse algo de novo e importante ao mundo;
. Sempre quis gostar mais de sopa e de peixe;
. Sempre quis fazer férias num sítio isolado do resto do mundo, em contacto com indígenas;
. Sempre quis ser mais ligada à família;
. Sempre quis experimentar abandonar tudo e fazer um voluntariado num país de Terceiro Mundo;
. Sempre quis experimentar a sensação de dar um soco em alguém (eheh), ainda que odeie violência;
. Sempre quis experimentar cuspir na cara de alguém, com fé mesmo, por eventualmente desprezá-la (lol!);
. Sempre quis ter um furúnculo e ficar em casa a tratar só eu dele;
. Sempre quis perceber tudo à primeira;
. Sempre quis ser a neta mais velha (porque era a que podia mexer no armário dos brinquedos);
. Sempre quis descobrir algum gosto em, um dia, vir eventualmente a gostar de cozinhar;
. Sempre quis fazer sexo no cinema;
. Sempre quis conseguir ser menos expressiva quando não gosto de alguma coisa;
. Sempre quis ir à Disneylândia;
. Sempre quis experimentar ser homem por um dia para fazer 3 coisas (eheh);
. Sempre quis ser mãe (easy! bem mais taaaaaaarde!);
. Sempre quis voltar a ter 15 gatos;
. Sempre quis ir lanchar a outro país e voltar horas depois (Espanha não conta! lol)
. Sempre quis usar todos os dias sapatos de tacão com não menos que 10cm;
. Sempre quis parar de comprar tantos sapatos (sou tarada! believe me!);
. Sempre quis ter um armário de dimensões físicas megalómanas;
. Sempre quis ser mais paciente;
. Sempre quis ter paciência para me deixar, de uma vez por todas, ensinar a jogar poker (assim teria hipótese de ser mais que DJ, na casa do Rato, nos serões de Sexta à noite! eheh);
. Sempre quis, por momentos, não conseguir pensar em nada.

E por hoje é tudo :) Não me apetece falar mais.
Já mais parece my own personal Bucket List! :)

Muitas destas coisas, pode-se conseguir se houver vontade.
Tantas, são utópicas. Como vir a gostar de fazer ginástica.
Outras, são(-me) humanamente impossíveis. Como ser menos expressiva quando não gosto.
Algumas, se calhar, ainda não fiz, por falta de me ter investido verdadeiramente nesse querer. Por ter estabelecido outras prioridades, a cada uma dessas alturas.
É capaz.

Uma coisa de cada vez.
Há-de haver tempo para tudo. :)
Afinal, "só" tenho uma vida inteira para ir tentando...

;)

8 postas de pescada:

Paulo disse...

essas 3 coisas que gostarias de experimentar se fosses um homem, a primeira já se sabe, a segunda era dares uma mija de pé, agora a terceira é que não estou a ver.. e depois as possibilidades são imensas

Grão de Areia disse...

Eheheh!

Ding! Ding! Ding!
Bingo!

É assim tão óbvio?

Epá, a terceira passa por...digamos... "autocarícias" :)

SalmA disse...

Andamos hardcore por aqui...

KISS KISS

Mirovich disse...

Gostava muito, muito, muito de todos os verões ir à Ilha de Tavira. Na última noite, ou as últimas noites dormir nas dunas, acordar com o Sol a bater levemente como quem diz, está na hora de tomar banho, levantar e voltar.

cor_de_rosinha_como_o_colete disse...

essa cena do cuspo está-se a tornar algo obsessiva...:)

Grão de Areia disse...

Salmita,

Até parece que não sabes que tua amiga é hard... :P

É aquele hard fofinho, vááá... :)

BEIJOOOOO!!!

Grão de Areia disse...

:D

Olha, olha... Quem será este "Cor_de_rosinha_como_colete"?!?!? ahahahahahah

Caro Cor_de_rosinha_como_colete,

Sabe que estas coisas dos cuspos, segundo Freud, pode ter várias interpretações.
Temos por exemplo, uma que gosto, que é a de uma cena do "Laranja Mecânica", em que o Alex cospe para a cara do tutor dele, quando é preso.
Agora vá-se lá instruir um bocadinho e descubra a possível leitura que a crítica faz dessa cuspidela na cara! eheheh

Está lançado o desafio!

;)

Anónimo disse...

Cheguei aqui tarde mas ainda cá deixo a minha "marca"...
Sabes eu gostava de saber dizer mais vezes não e não consigo, gostava de não ser tão stressadinha e ter mais paciencia, gostava de poder mandar embora a merda dos passarinhos de vez em quando e não consigo (é só show off lol)...pffff!!!E pronto assim te estrago o lado hard core que tentas-te por aqui no teu blog eh eh eh...
E já agora afinal porque é que o cuspo foi paqui chamado= Às vezes gostava de ser menos loira ah ah ah

beijinho Jo**