segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Um Para Ti - VII


De férias, as leituras sabem melhor.
Chega-se a trocar mergulhos nas atraentes ondas pelo desfolhar de certas páginas.

Aqui deixo um trecho sábio de um certo livro, delicioso por sinal, que me anda a derramar em verdadeiro vício:

"- Não me ofenda Daniel. Recordo-lhe que está a falar com um profissional da sedução, e isso do beijo é para amadores e diletantes de pantufa. A mulher de verdade conquista-se pouco a pouco. É tudo uma questão de psicologia, como uma boa faena na praça.

- Ou seja, deu-lhe tampa.

- A Fermín Romero de Torres nem S. Roque dá tampas! O que acontece é que o homem (...) aquece como uma lâmpada: ao rubro num ápice e frio outra vez num ai. A fêmea, porém, aquece como um ferro de engomar, está a perceber? Pouco a pouco, a fogo lento (...). Mas lá quando aquece ninguém pára aquilo. Como os altos fornos da Biscaia.

(...)

Como no fundo sou um cavalheiro dos de antigamente, não me aproveito, e com um casto beijo na face me conformei. Porque eu não tenho pressa, sabe?

Há por aí pategos que acham que se puserem a mão no cu a uma mulher e ela não se queixar, já a têm no papo. Aprendizes. O coração de fêmea é um labirinto de subtilezas que desafia a mente grosseira do macho trapaceiro. Se quiser realmente possuir uma mulher, tem que pensar como ela, e a primeira coisa a conquistar-lhe é a alma. O resto, o doce envoltório macio que nos faz perder o sentido e a virtude, vem por acréscimo."

(cit in A Sombra do Vento, Carlos Ruiz Zafón)




2 postas de pescada:

Rititi disse...

aplicaivo de faceook no blogue:

Me gusta ( agora é a parte do dedo virado pa cima) ahahah


Kisss***

Grão de Areia disse...

;)