terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

Apetecia-me chamar-lhe "Hoje"


"Aqui nesta praia onde
Não há nenhum vestígio de impureza,
Aqui onde há somente
Ondas tombando ininterruptamente,
Puro espaço e lúcida unidade,
Aqui o tempo apaixonadamente
Encontra a própria liberdade."

(Liberdade; Sophia de Mello Breyner Andresen; Mar Novo; 1958)

5 postas de pescada:

sariita disse...

apetecia-me chamar-lhe "pra sempre"! :) um beijo em ti..

Anónimo disse...

Muito bonita!!
Fantástico este blog... assim sim, vale a pena ler algo de interessante!

beijooooo para ti :)

Anónimo disse...

Ahh da Salma... (lol)

Rititi disse...

God!

Aí está ela e a sua veia de pseudo poeta :)

Ah lindinha... conheço te de gingeira, mujer!!

Anónimo disse...

Rititi...

Como diria Joaquim de Almeida a Maria de Medeiros no filme:

"VAI Á MERDA!"

hehhehehe

Linda