quinta-feira, 25 de junho de 2009

Estou Chocada! Vou ali morrer para a vida e já volto...



Soube ontem à noite, ao deitar, enquanto navegava no site da CNN.
E estou profundamente chocada. Talvez por uma mistura de "Deus morreu" com a ingenuidade de um mortal fã do "Este gajo nunca morre!"
Mas morreu.
50 anos.
Paragem cardíaca.
Como qualquer outra pessoa.

A verdade é que ícones como Michael Jackson não morrem, já reza o clichè. Aliás, Michael Jackson, the King of Pop, não tem comparação per si. Foi e é único. (Ainda há pouco tempo falei dele aqui.)
Não implicava que se gostasse da música dele. As coisas quando são boas, são factualmente boas.
E Michael, mais que isso, revolucionou a História da música e uma geração inteira.

Entrou para a História como o albúm mais vendido de sempre, como o primeiro preto a passar música na MTV, como o primeiro a fazer videoclips com produções cinematográficas em plena década de 80, quando mais ninguém o fazia; como o primeiro preto a ficar branco; como um bailarino exímio com uma dança única no Mundo, etc... etc...

E as pessoas que marcam, que fazem as linhas da sua vida vigorarem nas páginas da História, são pessoas eternas. Porque a História é isto mesmo: nós falarmos uns com os outros, de geração em geração, para que passem as referências. Seja o Michael Jackson, como rei da Pop, seja o meu avô, como belíssimo pescador.

Apesar de acreditar que na morte apenas mudamos de estado, o que mais me deixa triste é que as crianças que nascerão daqui para a frente já não vão ver o Michael Jackson como eu vi, ao vivo e a cores.
Pode soar estúpido, mas comove-me.

E porque as pessoas devem ser lembradas pelo seu melhor, deixo um vídeo de um de muitos bons momentos do rei da Pop.
Que descanse em eterna paz, que não teve lá muita cá.




Nota: Neste momento - sim, eu já pensei nisto - está a Madonna a pensar, na qualidade de cinquentona e de rainha da Pop, igualmente chocada: "Meu deus, podia ter sido eu..."
Não tarda, fará uma declaração pública sobre o assunto. Só lhe ficava bem.

1 postas de pescada:

Gonçalo Baião disse...

... tem mesmo de voltar? :P